Stein disse em uma entrevista coletiva com outros procuradores-gerais que mais de 40 estados devem participar do acordo. Os primeiros usuários já incluem Califórnia, Nova York, Ohio, Massachusetts, Virgínia, Tennessee, Louisiana, Pensilvânia, Connecticut, Delaware e Virgínia.

Os estados que não participaram do grupo de negociação assinaram o contrato em 30 dias, e alguns estados já anunciaram que vão assiná-lo. Então, dentro de 120 dias, você receberá dinheiro do governo local para desistir do processo e a empresa lhe pagará um bônus para obter mais registros. O processo já foi iniciado em vários estados. A procuradora-geral de Nova York, Letitia James, disse esperar que a “maioria esmagadora” da comunidade estadual se registre.

As duas empresas disseram estar confiantes de que o acordo resolveria uma parte significativa de sua dívida com opioides.

“Esta reconciliação apóia diretamente os esforços estaduais e locais para fazer um progresso significativo na abordagem da crise de opióides nos Estados Unidos”, disse o advogado da J&J, Michael Ullman, em um comunicado por e-mail.

Joe Rice, um dos advogados do estado, da cidade e do condado, disse em uma entrevista coletiva que a “massa crítica” do estado precisava apoiar o acordo, ou ele entraria em colapso. Ele não disse quantos estados ou governos locais precisavam para mantê-lo vivo.

O procurador-geral Jeff Landry, da Louisiana, disse em uma entrevista coletiva que o baixo custo do tratamento prolonga a dor da epidemia de opióides que se agravou durante a pandemia. “Estados que não assinam são realmente irracionais.”

Carregando

O procurador-geral do Estado de Washington, Robert Ferguson, rejeitou a proposta, dizendo que o que as quatro empresas ofereciam era muito pobre para lidar adequadamente com os danos que causaram. Para os 320 municípios de Washington, a participação do estado totaliza mais de $ 527 milhões ($ 715 milhões), mas ao longo de 18 anos será de $ 30 milhões ($ 40 milhões) anualmente.

“A jurisdição trazida ao tribunal contra essas empresas é muito superior a este acordo”, disse Ferguson em um comunicado, com os juízes definindo em janeiro a data do julgamento para os processos contra J&J. Ele acrescentou que sim.

West Virginia, que foi duramente atingida, já havia sugerido que não participaria do acordo. O município do estado está tramitando uma ação judicial contra a distribuidora. As discussões finais estão agendadas para a próxima semana.

“Atualmente, a Virgínia Ocidental provavelmente não aceitará esses acordos”, disse o procurador-geral do estado, Patrick Morrisey.

Bloomberg, Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *