A empresa norte-americana afirma que não prevê “risco excessivo para a segurança do paciente” e está trabalhando na recuperação de três lotes da vacina.

A Moderna disse que alguns lotes da vacina COVID-19 enviados ao Japão estavam contaminados com partículas de aço inoxidável, mas a empresa espera que isso represente um “risco excessivo para a segurança do paciente”. Eu não esperava.

O Ministério da Saúde japonês disse na quarta-feira que não acredita que as partículas de aço inoxidável representem riscos adicionais à saúde, com base em informações de pesquisas da empresa.

Uma empresa de biotecnologia dos EUA e parceira japonesa Takeda Pharmaceutical Co., Ltd. trabalharam com as autoridades japonesas para colaborar com as autoridades japonesas em três lotes da vacina COVID-19 depois que uma pesquisa encontrou contaminantes de aço inoxidável em alguns frascos. Anunciou que serão coletados.

As autoridades japonesas pararam de usar lotes dessas doses de modela, incluindo 1,63 milhão de doses, na semana passada, após serem notificadas sobre problemas de poluição.

Moderna disse que a contaminação do aço inoxidável provavelmente ocorreu durante a produção. A Takeda vende vacinas Moderna no Japão.

A Moderna disse em um comunicado conjunto com a Takeda que a causa mais provável da contaminação está relacionada ao atrito entre duas peças de metal na máquina que fecha o frasco. Foi confirmado que o material é aço inoxidável.

A Moderna colaborou com a Takeda, que opera uma planta contaminada, e com o fabricante espanhol Rovi para conduzir a investigação.

“O aço inoxidável é usado rotineiramente para válvulas cardíacas, substituição de articulações, suturas de metal e grampos, então injetar as partículas identificadas nesses lotes no Japão aumentará o risco médico. Não é esperado”, disse Takeda Yakuhin e Moderna em um comunicado conjunto.

No Japão, o gerenciamento dos disparos da Moderna foi suspenso porque 39 frascos foram encontrados contendo material estranho. Todos os frascos eram de um único lote, mas como medida de precaução, foram interrompidos os disparos de outros dois lotes da mesma linha de produção da Rovi.

Segundo o comunicado, apenas esses três lotes foram afetados por problemas de fabricação. Rovi inspecionou minuciosamente a fábrica e acrescentou que implementou novos procedimentos para evitar problemas semelhantes no futuro.

Nesta semana, o uso de diferentes lotes da vacina Moderna foi temporariamente suspenso em três regiões do Japão. Matéria estranha pode ter sido encontrada em um frasco não usado ou pode ter sido devido a um pedaço de rolha de borracha quebrado no frasco devido a uma inserção incorreta da agulha.

O problema da poluição ganhou mais atenção depois que o Ministério da Saúde anunciou no sábado que dois homens, de 38 e 30 anos, morreram em agosto poucos dias após receberem a segunda dose do Moderna. Cada um estava recebendo uma dose de um dos lotes interrompidos.

As causas da morte nos dois casos ainda estão sob investigação.

Modana e Takeda disseram em um comunicado conjunto que não há evidências de que a vacina os tenha matado. “Atualmente, essa relação é considerada uma coincidência”, disseram as duas empresas em comunicado.

O ministro Taro Kono, responsável pela campanha de vacinação, disse a jornalistas na sexta-feira. A Moderna disse que não conseguiu confirmar quantas doses do lote foram entregues.

..

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *