A jovem de 23 anos perderá as Olimpíadas de Tóquio depois que a Suprema Corte de Esportes anulou a decisão que a inocentou no ano passado.

Salwa Aidner, campeã mundial de 400 metros do Bahrein, foi banida por dois anos e perde as Olimpíadas de Tóquio depois que a Suprema Corte do Esporte a derrubou, derrubando seu esquecido conhecimento de teste de doping.

O Tribunal Arbitral do Esporte (CAS) anulou a decisão de outubro de 2020 do árbitro independente na quarta-feira. A decisão permitiu que uma criança de 23 anos na época participasse das Olimpíadas de Tóquio no mês que vem.

“Salwa Aid Nazer foi sancionado por um período de suspensão de dois anos a partir de 30 de junho de 2021”, disse o CAS em um comunicado.

De acordo com o CAS, a proibição terminará no início de 2023, pois Naser ganhará créditos por cerca de quatro meses “durante uma suspensão temporária” de junho a outubro de 2020.

Em 2019, Nasser correu os 400 metros femininos mais rápidos desde 1985 e conquistou o título mundial em Doha, no Catar.

Os Árbitros Mundiais de Atletismo decidiram em outubro de 2020 que Naser falhou o teste entre março de 2019 e janeiro de 2020 sem cometer violações antidoping relacionadas a falhas de arquivamento.

A decisão do árbitro é profissional e entra em vigor no início do período de três meses contados as datas das violações das regras.

A Agência Mundial Antidopagem (WADA) e a World Athletics apelaram ao CAS, contestaram a decisão do árbitro e levaram a uma reversão na quarta-feira.

Naser foi acusado pela Unidade de Integridade de Atletismo por pelo menos três “falhas de informação de localização” em um ano. Isso pode levar a uma proibição de dois anos.

Os atletas precisam estar atualizados na plataforma online da WADA. Nesta plataforma você pode encontrar testes não anunciados fora da competição.

Violação significa que o atleta forneceu informações incorretas ou não estava no local indicado quando o coletor da amostra chegou.

Teste perdido

As três falhas comprovadas de localização de Naser ocorreram em um período de 12 meses, mas se espalharam por um ano ou mais.

Naser não foi capaz de fornecer informações precisas para fornecer a amostra em 16 de março de 2019, mas foi contado tecnicamente como ocorrendo no início do trimestre de 1º de janeiro de 2019.

Seus testes comprovadamente reprovados foram em 12 de março de 2019 e 24 de janeiro de 2020, com duração total de mais de um ano.

No entanto, o CAS revogou essa conclusão e considerou Naser “culpado de violar o Artigo 2.4 dos Regulamentos Antidopagem da IAAF.”

Isso não tirou Naser de seu título do Campeonato Mundial de 2019.

..

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *